Jantar vegetariano

Um milhão e meio de desculpas pela ausência nos últimos tempos! Durante as férias eu sai de órbita e nas últimas duas semanas tive alguns problemas com a senha do blog! Mas agora tudo volta à normalidade.

Falando em férias, durante as semanas que fiquei em Marília eu e o Vi resolvemos fazer um jantarzinho vegetarianíssmo pra família dele!

Quando você não come carne sempre tem alguém na mesa que joga a pergunta: “Mas você como o quê?” Gente, nem só de animal morto vive o homem! E por causa disso e também pensando no cardápio do nosso casamento resolvemos pensar num jantar agradável em família com vegetarianos predominando na mesa.

Não deu tempo de tirar foto de todos os pratos, mas as que foram tiradas ainda estão na câmera do Vi e sem previsão de serem passadas pro computador por conta de um vírus que tá dificultando o processo. Espero que essas fotos não se percam e eu consiga atualizar o post com elas!

Vamos ao cardápio!

Enquanto as panelas borbulhavam na cozinha fizemos um aperitivo bem suave! Ainda precisamos dar um nome, mas ele é composto de abobrinha, cream cheese e pimenta biquinho! O preparo é bem fácil: pegue uma abobrinha pequena e não  muito gordinha e fatie na espessura de um dedo. Em uma panela com água fervendo e um pouquinho de sal jogue as rodelas de abobrinha por aproximadamente 3 minutos (CUIDADO! USE UMA ESCUMADEIRA PARA COLOCAR AS ABOBRINHAS NA ÁGUA!) de modo que elas ainda fiquem firmes. Retire-as e dê um choque térmico em uma bacia com água bem gelada (se preferir, coloque algumas pedras de gelo). Deixe-as um tempo na água fria e depois escora bem as fatias. Coloque o cream cheese como se estivesse colocando chantilly em um sorvete em cima de cada fatia de abobrinha. Finalize com a pimenta biquinho e sirva!

Como estava friozinho, para a entrada fizemos uma sopa creme de abóbora com alho poró. Usamos cerca de 1kg de abóbora cabotiã, aproximadamente 1,5 litros de água, 5 bulbos médios de alho poró, 1 colher (sopa) de azeite de oliva, sal, alecrim (fresco ou desidratado) e pimenta-do-reino preta à gosto. No nosso caso, nós usamos a água do cozimento das lentilhas, mas do contrário pode ser água filtrada/mineral mesmo. Para o preparo, coloque a abóbora picada em cubos para cozinhar na água. Quando a abóbora estiver macia, leve os pedaços ao liquidificador acrescentando a água do cozimento aos poucos, de modo que a textura fique bem cremosa e homogênea. Em uma panela, aqueça o azeite e o frite o alho poró cortado em fatias finas. Quando eles já tiverem amolecido, acrescente o creme de abóbora, os temperos a gosto (lembrado pra cuidar na quantidade de sal) e deixe levantar fervura. Acompanha bem queijo parmesão ralado e torradinhas.

Para o prato principal servimos tomate recheado com salada de lentilhas e pimentões, brócolis ao alho, farofa de oleaginosas e arroz branco.

Para o tomate: 10 tomates médios bem maduros; 1 1/2 xícara de lentilhas secas; 1 pimentão vermelho grande; 1 pimentão amarelo grande; 1 cebola média; 150g de queijo tipo mussarela; sal e pimenta-do-reino preta a gosto.

Coloque as lentilhas de molho em 3 xícaras de água quente por aproximadamente 30 minutos. Corte uma tampinha do tomate e retire as sementes, com cuidado para não perfurar o fruto. Passe sal no interior do tomate e deixe-os de cabeça para baixo em um refratário enquanto prepara a lentilha para escorrer a água.

Depois de hidratadas, cozinhe as lentilhas até ficarem macias. Escorra a água e dê um choque térmico (ou se tiver preparando com tempo hábil, deixe na geladeira até esfriar). Pique os pimentões e a cebola em cubos pequenos e misture na lentilha já cozida e tempere com sal e pimenta. Depois dos tomates já escorridos, recheie com a saladinha de lentilha. Leve ao forno médio pré-aquecido por em média 30 minutos ou até que os tomates comecem a ficar levemente enrugados. Retire do forno e finalize os tomates com uma fatia de queijo dobrada no meio em cima de cada um. Retorne ao forno até que o queijo derreta.

Para o brócolis: 1 cabeça de brócolis japonês; 1 cabeça grande de alho; 1 colher (sopa) de azeite de oliva; sal a gosto. Cozinhe o brócolis (o ideal é cozinhar no vapor) até ficar bem verdinho e ainda al dente. Fatie o alho bem fino e em uma frigideira com o azeite aquecido, frite o alho até ficar bem dourado, com cuidado para não queimar. Despeje o alho frito sobre o brócolis e acrescente o sal.

Para a farofa: 1 xícara de farinha de rosca; 1/2 xícara de amendoim torrado; 1/2 xícara de castanha-do-Pará; 1 cenoura grande ralada no ralo fino; 1/2 cebola grande cortada em fatias finas; sal e azeite de oliva á gosto. Aqueça o azeite e adicione a cebola fatiada até que ela comece a amolecer. Acrescente a cenoura ralada, o amendoim e a castanha-do-Pará e refogue por um tempo. Vá acrescentando a farinha de rosca aos poucos e o azeite conforme julgar necessário. Finalize com o sal. Falo de usar o azeite a gosto porque tem gente que gosta de farofas mais seca ou mais molhadinhas, então fica a critério. Mas não exagere! Azeite também é gordura! Você pode reduzir a quantidade de farinha também para deixar mais ou menos úmida.

Para o arroz: 1 copo de arroz branco; 2 copos de água filtrada/mineral; 1/2 cebola picada em cubos pequenos; 5 dentes de alho; 1 colher (sopa) de azeite de oliva ou óleo vegetal; sal à gosto. O procedimento é o básico: frite a cebola, o alho e o arroz. Acrescente o sal e a água e deixe o calor do fogo fazer o resto! Não tem segredo fazer um arroz básico, né?

Por fim, a sobremesa! Como o jantar foi decidido bem em cima da hora não tivemos tempo pra preparar uma sobremesa muito elabora. Então optamos por um creme de chocolate com salada de frutas. Usamos 1 litro de leite integral; 4 colheres (sopa) de amido de milho; 4 colheres (sopa) de achocolatado; canela em pó a gosto; morangos, banana, kiwi, maçã e suco de laranja para a salada de frutas. O preparo do creme é bem simples: aqueça o leite com o achocolatado e a canela. Quando amornar, acrescente o amido de milho previamente diluído em meio copo de leite e vá mexendo até engrossar. Deixe esfriar. Pique as frutas e esprema o suco de uma laranja em cima das frutas para evitar que a maçã e a banana escureça. Quando o creme estiver frio, jogue as frutas por cima e leve para a geladeira até o momento de servir.

Uma coisa que ficou legal nessa sobremesa é que não ficou extremamente doce e a canela de um aroma inconfundível! Mas a minha tristeza foi ter que usar o amido de milho. Infelizmente não tenho encontrado nos supermercados amido de milho livre de OGM, mas sei que usar polvilho ou fécula de batata ou mandioca fornecem a mesma textura. Só não sei a quantidade e a relação tempo/temperatura pra isso. Mas pretendo testar e passar aqui muito em breve!

Toda essa comida foi suficiente para seis pessoas comerem muito bem (e repetirem) e ainda sobrou uma coisinha ou outra. Mas o jantar foi mais do que aprovado! Fica a sugestão para quando receberem alguém em casa e quiserem oferecer pratos coloridos e sem carne!

Ufa! Um post gigante desse valou pelos 40 dias sem aparecer, né? Mas agora não fico mais todo esse tempo sem notícias!

Até breve!

Fernanda

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Foi O Jantar!! tudo estava muuuuito gostoso, e todos gostaram muito! A prova disso é vem do ditado ”Vemos o quanto a comida esta boa pela quantidade que sobra no prato”. Todos repetiram! Esperemos as próximas férias para fazer mais um jantar neste sentido, sem carnes, alimentos saudaveis e felizes =).
    Logo mais as fotos dos pratos estarão aqui para ilustrarem o post!
    Beijo Flor da minha vida

    Responder

  2. Olá Fernanda! Fazia um tempinho que eu não passava por aqui também! ;O)
    Já anotei a receita do aperitivo de abobrinha, deve ficar uma delícia, farei amanhã aqui em casa!
    Em relação à cirurgia bariátrica para pacientes obesos com DM2, estão surgindo muitos estudos indicando que pode sim haver um benefício na redução da glicemia dos pacientes, principalmente devido a alterações hormonais e no consumo alimentar… Mas é cedo ainda para afirmar que a cirurgia “cura” a doença, o paciente deve ser reavaliado periodicamente… Inclusive, tem um estudo que diz que depois de um tempo a glicemia de jejum de alguns pacientes continuaram baixas (níveis normais para não diabéticos), mas a glicemia pós-prandial (ou seja, após as refeições) voltou aos níveis pré-cirúrgicos… Me mande um email e verei se consigo encontrar esse estudo para você…
    Beijo!

    Responder

Dê sua colherada aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: